"Ainda falta muito?" Todos nós já fizemos essa pergunta. Na infância, obrigados a suportar provações de toda espécie e, ao longo da vida, quando percorremos longos caminhos e estradas desconhecidas, e o cansaço e a impaciência nos abatem.

Nos quase dois anos da pandemia da Covid-19, essa pergunta, ou pelo menos o sentimento de angústia que ela contém, se fez presente em cada um de nós. Para grande parte dos brasileiros, a passagem dilacerante do tempo teve como agravante o estarrecimento diante da indiferença do presidente do país à tragédia vivida pela população, cuja expressão mais dolorida são os mais de 600 mil mortos pela Covid-19 contabilizados até agora. Governo ou desgoverno, questiona Abrão Slavutzky, um dos autores deste livro.

Privadas da rotina e relacionamentos cotidianos, as pessoas tiveram nas redes sociais sua principal companhia no mundo pandêmico, marcado pelo isolamento, pelo medo, pelo luto e pela esperança, imprescindível para nos mantermos lúcidos ou pelo menos humanos. Que nada mais é do que uma parte do eterno labirinto que enreda nossa existência, de acordo com Edson Luiz André de Sousa, o outro autor que se propôs a imaginar, aqui, o amanhã que será de todos nós.

Imaginar o Amanhã - Abrão Slavutzky e Edson Luís André de Sousa

R$ 55,00Preço